sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

"Poderia ser pior, eu poderia ser fã de Crepúsculo..."


Antes de tudo, se você é fã da saga “Crepúsculo” e parou aqui por acidente ou de curiosa que é... azar o seu! Se você não é fã da saga, parabéns!


“Crepúsculo” é aquela série de livros que toda (ou quase toda) aborrecente adolescente leu ou ainda vai ler. Os livros da série já venderam mais de 42 milhões de cópias no mundo, já foi traduzido em 37 idiomas diferentes e até tem dois filmes: “Crepúsculo” e “Lua Nova”, inclusive, o segundo filme bateu a bilheteria do filme “Batman: O Cavaleiro das Trevas” (jura?).

Best-seller” é isso? Maldito mundo moderno! Confesso que a Stephenie Meyer, autora da saga, foi esperta. Essa geração não tem personalidade e gosta de qualquer porcaria, exemplo disso? Bandinhas emo. Quando eu pensei que não poderia surgir algo pior do que os emos, eis que aparece uma banda chamada Tokio Hotel... que porra é aquela? Enfim... O palco estava armado para Stephenie Meyer e seus livros.

“Ele não sabe do que tá falando”: Se você pensou isso, pensou errado. Eu sei muito bem do que estou falando, eu li todos os livros. Minha irmã tem os livros, na falta do que fazer, eu acabei lendo. Engraçado que, quando eu comentei que estava lendo “Crepúsculo” com algumas gurias, elas chegaram a ficar surpresas, já que se tratava de uma “história de amor”.

Quer dizer que o livro era tão “fofo” assim? Eu não sabia de toda essa loucura das fãs, imaginava que fosse coisa de um grupo pequeno de fãs. Eu sei que gosto é que nem c... orkut: cada um tem o seu. Vou comentar resumidamente sobre a saga, mas não se irrite fã xiita.

*Se você não leu a saga “Crepúsculo”, pare aqui! (Pelo simples fato da curiosidade ser “maldita”, você que não leu, vai continuar).

A saga é sobre a relação de uma jovem mortal, Isabella Swan e um vampiro, Edward Cullen. Bella (como é mais conhecida) conhece o vampiro Edward ao se mudar para Forks, uma cidade onde chove muito e que quando não chove, tem dias nublados. Assim que chega, Bella desperta a curiosidade, já que é novata em Forks. Na escola, faz amizade com: Mike, Jessica, Angela, Eric e Tyler. Bella só foi morar em Forks por causa do pai, Charlie. Ela não gostava da vida em Forks, achava monótona, até que viu Edward na escola, durante o intervalo. O resto, quase todo mundo já sabe.

Bella conhece Edward, mas ele guarda um “segredo sombrio”, Edward é um vampiro! Ele e os outros Cullen: Carlisle, Esme, Alice, Jasper, Rosalie e Emmett formam uma família de vampiros vegetarianos, eles vivem sobre um pacto de não se alimentar de sangue humano. Depois que Edward salva Bella de um acidente, ela começa a achar o rapaz e os outros Cullen mais intrigantes.
Bella encontra um amigo de infância, Jacob Black, quando participa de um luau organizado pelos amigos da escola. Jacob mora em uma reserva indígena Quileute, em La Push. Na praia, Bella pergunta se Jacob sabe alguma coisa sobre os Cullen. Jacob fala sobre as lendas que já ouviu sobre “os frios” e que supostamente seria a família Cullen, vampiros que se alimentam de sangue animal e que existe desde a época de seu bisavô, Ephraim Black. Jacob não acredita em tais lendas, acha tudo uma grande baboseira de seus ancestrais.

Depois de muito investigar, Bella acredita na possibilidade de que Edward seja um vampiro, mesmo que pareça absurdo, mas o próprio revela a sua verdadeira natureza sobrenatural. Começa aí um relacionamento proibido, pois Bella é uma jovem mortal e Edward um vampiro imortal. Edward diz que o sangue de Bella é doce e tentador e que tem medo que não consiga controlar a sua “sede”, colocando a vida da jovem em perigo.
Esse é o foco (situação emo) de “Crepúsculo”, o amor “proibido” de Isabella e Edward. Então, vamos ao que interessa?

Para começar, eu entendo que quando uma história envolve essas criaturas que fazem parte do imaginário, não existe uma regra absoluta, algo que determine as características de tais criaturas. Em “Drácula", de Bram Stoker, o escritor irlandês praticamente criou uma referência quando se trata de vampiros. Drácula é amaldiçoado com a “sede”: ele precisa beber sangue mortal, que é a fonte de sua imortalidade e poderes sobrenaturais. Os poderes do Drácula incluem: hipnose (magnetismo sobrenatural), forças ampliadas, resistência, comunicação com animais e o dom da transformação (ou metamorfose), podendo se transformar em lobo, morcego e até mesmo em névoa. Drácula também possui fraquezas, elas são: o alho (quando ele vê um, ele diz: “ah não, car-alho!”), crucifixos, não possui imagem refletida no espelho (por isso não tem idéia de como aquela cabeleira é ridícula...), não pode se afastar da terra natal (Transilvânia), para isto, deve levar consigo um pouco de areia daquele lugar (que ele usa no caixão ou ao redor dele), estacas (quando golpeia o coração, deixa o vampiro paralisado), água benta, decapitação (no filme, isso funciona com as vampiras do Drácula) e a luz do Sol.

É nessa obra que também aparece um dos melhores personagens (o meu preferido) depois do Drácula, o Dr. Abraham Van Helsing. Ele sabe e ensina todas as maneiras de como destruir um vampiro. E digo logo, o ator que melhor “deu vida” ao personagem foi o Anthony Hopkins. Lembrando que "Bram", é uma abreviação de Abraham.

Os vampiros da série “Crônicas Vampirescas”, de Anne Rice, também são famosos. Quem nunca viu o filme “Entrevista Com o Vampiro”? Filme esse que é baseado no primeiro livro da série, que inclusive é o livro de maior sucesso. Anne Rice conta a história de um homem, Louis de Pointe du Lac que chama a atenção de um vampiro, o Lestat de Lioncourt, ao tentar se matar. Louis é transformado em vampiro no século XVIII por Lestat. Louis acha que o vampirismo é uma maldição, que está condenado ao inferno... Já Lestat acha que deu um presente, o melhor de todos os presentes.

No mito do vampiro, diz que era somente preciso morder um mortal para que o transformasse em vampiro. Tanto em “Drácula", como nas “Crônicas Vampirescas”, não é assim o processo de transformação. Em “Drácula”, o Conde suga quase todo o sangue e depois rasga o pulso para que a vítima beba, depois disso a maldição só pode ser quebrada matando o criador. No livro “Entrevista Com o Vampiro” é quase a mesma coisa, mas com alguns pequenos detalhes que Lestat explica para Louis, um deles sendo que não se pode beber o sangue quando o coração pára de bater, podendo matar o vampiro.
Os vampiros de Anne Rice, para que possam transformar um mortal em vampiro, também devem doar sangue ao “escolhido”. Acho interessante quando Lestat e Louis vão à um baile, nele, quando Lestat observa uma mulher e comenta sobre o que supostamente ela está pensando, Louis não entende nada do que Lestat está dizendo. Lestat pede para que Louis se esforce e leia a mente da mulher, mas este diz que não consegue fazer e Lestat termina dizendo: “Talvez o presente das trevas não seja igual para todos”.

Para quem nunca leu e só conhece os filmes, eu indico, é excelente! Tanto os personagens de Bram Stoker, assim como os de Anne Rice, são apaixonantes.

O cineasta alemão, Friedrich Wilhelm Murnau, um dos principais nomes do cinema expressionista alemão, também criou o seu vampiro ao tentar filmar a obra “Drácula”. Murnau (até parece que eu sou brother dele...) não teve autorização dos herdeiros de Bram Stoker para filmar “Drácula”, ele trocou os nomes e fez a sua adaptação não-autorizada: Nosferatu, Eine Symphonie des Grauens (Nosferatu, uma sinfonia de horrores).

Esse filme foi produzido em 1922 e é um clássico! O filme é sobre a história de um jovem (Hutter) que atravessa vários países até chegar ao castelo do Conde Orlok, pois este quer mudar-se para Alemanha. Hutter não sabia que o Conde Orlok era um vampiro. O ator que interpretou o Conde Orlok, foi Max Schreck.
No filme “A Sombra do Vampiro” (2000), mostra o que teria acontecido durante as filmagens de “Nosferatu”, já que o ator Max Schreck, seria um verdadeiro vampiro contratado por Murnau. O filme não tem uma história “incrível”, mas é bom.

Lembrando que o nome “Nosferatu” também aparece em “Drácula”, quando o professor Van Helsing explica sobre o mito da criatura que se alimenta de sangue durante as noites.

Voltando a falar sobre “Crepúsculo”... os vampiros de Stephenie possuem estas características: super força, resistência e velocidade. Cada vampiro possui uma habilidade única, por exemplo: Edward pode ler a mente alheia. Até aí, tudo bem. Uma explicação para a super resistência deles (os vampiros da saga), é que a sua pele é mais dura que o mármore (só faltava ela “inventar” que a pele era de adamantium...).
Outro detalhe, é que eles não são afetados mortalmente pela luz do Sol (até aqui, tudo bem), mas que evitam, pois o Sol faz com que a pele deles brilhe como se fosse um diamante, podendo revelar a verdadeira natureza deles... Na boa, tem explicação mais ridícula do que essa?


Esses vampiros só podem morrer se forem esquartejados e depois queimados (ou se forem estraçalhados por um lobisomem...). A Stephenie Meyer conseguiu a proeza de criar um dos personagens mais chatos que eu já “conheci”: Isabella Swan. A autora tentou criar um novo “Romeu & Julieta”, mas que chega ser infeliz nessa tentativa. Uma coisa é ouvir de uma adolescente falar que se trata de “uma perfeita história de amor”, mas uma adulta falando isso? Por favor! Só se fosse "a mais chata história de amor do mundo", aí eu concordava...

Eu acho que a Bella se apaixona mais pelos poderes que um vampiro tem, do que pelo Edward. Bella também demonstra um amor obsessivo, submisso e egoísta. Todo mundo sofre por amor, isso é normal, mas a Bella é um “chute no saco” quando se trata do assunto. Depois que Edward termina o relacionamento com Bella por achar que isso pode trazer mais problemas, Bella perde a vontade de viver e sempre que pode, faz alguma idiotice (em “Lua Nova”, ela se joga de um penhasco, mas é salva por Jacob). Que ser imortal passaria a eternidade com uma guria que nem a Bella? Só o Edward mesmo, que além de ter super resistência, super força, super velocidade, deve ter também uma “super-paciência” pra aturar aquela mala. E eu não posso definir o que é “amor”, mas isso está longe, muito longe de ser amor.

Alguém poderia me explicar o motivo da Bella ser tratada como o melhor ser humano pela família Cullen? Sem querer exagerar. Eu considero os Quileutes o melhor do livro, eles que ainda conseguem segurar o leitor (pelo menos eu), fazendo com que termine de ler. Os Quileutes são uma antiga tribo e vivem em uma reserva no território de La Push.
No segundo livro, “Lua Nova”, Jacob Black descobre que é um lobisomem e que as lendas de sua tribo eram verdadeiras. A lenda de como os Quileutes se transformam em enormes lobos, é interessante. Os que podem se transformar, não podem se irritar muito, sem controle a transformação ocorre. Os lobisomens de Stephenie possuem uma regeneração e longevidade superior do que a humana. Existe uma espécie de telepatia entre os membros do grupo de lobos, a alcatéia só não fica conectada na forma humana. Outra curiosidade é o imprinting, que é quando um lobisomem se apaixona perdidamente por uma pessoa, fazendo com que o lobisomem não queira outra pessoa. Vampiros e lobisomens também são inimigos naturais, os lobos chamam os vampiros de “frios” ou “sanguessugas”.


Bella consegue ficar grávida! No último livro, “Amanhecer”, além de ficar grávida, Bella também se torna uma vampira (“ninguém” sabia...). Agora que é vampira, Bella tem o poder de produzir um escudo com a mente. O final que é o “melhor”! Já que Jacob não conseguiu ficar com a Bella, ele acaba sofrendo imprinting com a filha dela, a Renesmee. Jacob vai esperar ela envelhecer, pois não tem escolha. Sabe o que é pior? O “auge”, a explosão de criatividade da escritora foi esse nome: “Renesmee”, união dos nomes “Renée” (mãe de Bella) com “Esme” (a “mãe” dos Cullen)... Renesmee é mestiça que nem o Blade ("Não, eu tô falando do Runner!" Lembra disso, Tchela?), o caçador de vampiros. “Tem mais coisa podre, irlandês?”, mas é claro que tem, tem os filmes! Que as fãs (pessoas "muito" gabaritadas) consideram os melhores já produzidos na face da terra.


Um dos piores filmes que eu já vi, foi “Crepúsculo”. Minha irmã insistiu para que a levasse ao cinema, sendo bonzinho, fiz esse sacrifício. Toda bendita vez em que o ator Robert Pattinson entrava em cena (Edward Cullen), era aquela gritaria, a mulherada ficava doida... O filme é um lixo! Nem preciso citar os defeitos desse filme, que só teve grande bilheteria por causa dessas fãs loucas. Recentemente foi lançado o segundo filme, “Lua Nova”, minha irmã foi à estréia, mas dessa vez, foi sozinha.

Estou com muito sono, sempre que vou postar algo, é durante a madrugada. Não sei mais o que falar sobre essa saga, acho que perdi o meu tempo falando de uma historinha que, por culpa dessa geração, se tornou um best-seller. Se você é fã, não me jogue na “fogueira da santa inquisição”, a culpa é sua. Lembre-se que daqui uns sete ou dez anos, você vai ter vergonha de um dia ter sido fã dessa saga (ou seria “praga”?). E outra, eu nem peguei “pesado”, fui até legal. Até aconselho que você, adolescente louca, leia outros livros.

9 comentários:

  1. Eu ri muito com alguns parágrafos desse post,confesso que acho até legal o filme,mas olha vc tá de parabéns! ótimoooooo post! :)

    ResponderExcluir
  2. Olha isso é uma mentira ta pois os livros são otimos e Stephenie Meyer e uma deusa da fantasia e do romance, eu sei de cabeça todas as historias e li mais de 10 vezes cada livro se me fizerem um interogatorio sobre o que aconteceu em cada livros, eu não tenho culpa se você tem mal gosto e não foi nada legal essas capas que vc fez e ve se le mais de uma vez pq geralmente na primeira as pessoas sem noção não entende :P >:(

    ResponderExcluir
  3. UAUHUAUHUHUAUHUHAUHuauau irlandes maluco parabéns. Vc falou tudo o que eu penso exatamente...a Sthephanie é uma escritora de quinta categoria e o filme só consegue chamar a atenção por causa do porpurinado do Edward que nem tão bonito é. Sinceramente não entendo pq tanta histeria por esse cara quadrada .__.
    Sempre achei Crepusculo uma bosta, modinha -.-

    ResponderExcluir
  4. cfs...
    que mentira olha eun nunca li os livros mas pelo o que as pessoas falam os ivros são bem bons.eu até tenho uma miga que me conta todas as coisas que aontecem e ela já leu os livros umas 89 vezes e é bem lgal.
    se eu tivesse tempo eu lia os livrs umas 999 vezes.e se vcs ñ gostam qu epena pois ñ sabem o que estão perdendo.

    ResponderExcluir
  5. oi sou eu d novo seus chatos vc ja segui meu conselho ler mais uma vez, olha para de falar coisas dos outros isso e muito feio ta e zoar com os livros naum é nada legal sabe o que é isso, ciumes porque vc nunca conseguiu fazer algo de tanto sucesso ou vc e fanatico por o tal de hary poter e ficou morrendo de raiva quando soube que tinha um livros quase alcançado, olha A SAGA DE CREPUSCULO é muito bom...

    ResponderExcluir
  6. cfs...
    parem de zoar destas coisas q cs nem conhecem e nem sabem de que estão falando.
    vcs estão é com ciúmes.muuuuuuuuuuuuito ciumes.

    ResponderExcluir
  7. Você é um idiota que gosta de criticar os outros por gostar da saga crepusculo e eu aposto que você não tem a menor capacidade de criar uma saga maravilhosa como essa então por tanto toma vergonha na cara é para de falar do que você não poderia nem chegar perto de fazer .

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão lidos e sempre que possível respondidos.