terça-feira, 18 de maio de 2010

Scans - Tudo é Pirataria?


Agora estamos ferrados!

O cerco aumentou sobre os sites que distribuem scans de quadrinhos, alguns ficaram fora do ar, outros foram banidos da web, mas essa novela ainda não acabou. Alguns falam que tudo começou com a editora Mythos, outros dizem que foi a Panini; mas muitos dizem que é tudo obra de um maldito nerd delator.
Bom, feito a denúncia, a APCM (Associação Antipirataria de Cinema e Música) tratou de “cortar as asinhas” dos sites especializados em scans de quadrinhos, resumindo: deu mer*!

Não defendo a pirataria, mas também não posso aceitar a opressão e a falta de respeito que a indústria da música, cinema e outras mídias têm com o consumidor. Eu não deixei de comprar cd’s originais das bandas que gosto pelo fato de baixar arquivos mp3. Isso também é válido para os filmes que procuro assistir no cinema, que inclusive, o preço do ingresso está um absurdo! Eu ainda posso pagar, mas e os outros? Isso também deve ser questionado.

Outra coisa, quando passam propagandas de incentivo à leitura, eu penso nos novos leitores que, ao se interessarem em ler bons livros, se deparam com um preço nada agradável nas livrarias. E os scans de quadrinhos? Claro que não concordo em baixar uma revista que acabou de sair nas bancas, isso não; mas, e as revistas antigas que você jamais vai encontrar em bancas/sebos? Acho uma "puta falta de sacanagem" taxar isso de pirataria, quando nesse caso, pelo menos para mim, parece mais um resgate de obra do que pirataria.

E agora? Bom, faz até tempo que eu não compro HQ’s nas bancas, mas isso por conta do péssimo resultado que sempre encontro nas revistas atuais. É mais saudável que eu compre antigas revistas em sebos, para tentar completar parte de minha coleção. Cadê a criatividade? Acho que isso é culpa até dessa nova geração que consome qualquer coisa, então as editoras então resolvem lançar qualquer porcaria.

Bom, sobre essa questão do bloqueio de sites, eu irei pesquisar mais e finalmente entender como tudo começou. E é até burrice achar que o mercado sofre por conta dos scans, já que muita gente começou a comprar quadrinhos depois de ler uma revista digitalizada. No fim, eles deveriam é agradecer o trabalho de tantos colaboradores, digo isso, pois vários envolvidos traduziram revistas que jamais chegaram ao país (deixando a coleção com “buracos”) pelo fato das editoras acharem desnecessárias para o mercado. Não sei onde tudo isso vai parar, mas se elas acham que a distribuição de scans vai acabar, estão totalmente enganados... compartilharemos em P2P, simples.

Com maiores informações, voltarei a falar sobre isso aqui no blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários serão lidos e sempre que possível respondidos.